Artigo – Relógio contrabaixístico

Por: Voila Marques

Não adianta coisa alguma contabilizar seu estudo em número de horas. O importante é que você e/ ou seu professor sintam que está havendo progresso no instrumento, principalmente o seu professor porque, freqüentemente, os alunos têm a falsa impressão de que pararam de evoluir, muitas das vezes só por causa de aulas ruins.

Seu professor saberá avaliar melhor essa situação, pois os alunos só têm um objetivo – tocar -, e como é um objetivo muito avançado, terminam ficando desestimulados pela demora natural em conseguir alcançá-lo.

Já o professor também tem o mesmo objetivo, obviamente. Porém, ele trabalha com diversos “micro-objetivos” que, juntos, farão com que os alunos toquem.

Por exemplo: enquanto um aluno está preocupado em afinar um intervalo (mão esquerda), o professor pode estar vendo essa mesma afinação não pelo ângulo do abrir ou fechar mais os dedos (espaço), mas sim pela pressão dos dedos, cujas variantes também causam alterações na afinação. Ele também pode estar vendo esse problema através do arco, pois as variantes de ponto de contato na corda, velocidade e pressão também podem causar mudanças sonoras e oscilações na afinação. Ou seja, o aluno pode estar se considerando um desafinado por não conseguir realizar um intervalo com precisão, quando na verdade, ele pode estar sem tônus físico para sustentar a pressão dos dedos nas cordas, ou estar fazendo movimentos desnecessários com o arco.

Essa preocupação com a quantidade de horas é muito subjetiva, pois cada um tem as suas necessidades, o seu relógio contrabaixístico. Sugiro que o aluno se preocupe mais com a qualidade do seu estudo. É melhor estudar 3 horas com concentração, do que concluir 6 horas maçantes.

Conheço contrabaixistas (profissionais e alunos) que têm o talento para sintetizar suas dificuldades e resolvê-las num curto espaço de tempo. Outros precisam de um tempo maior com o instrumento para resolver a mesma coisa. O importante é você estudar “até onde conseguir, sem forçar”.

Um aluno iniciante não terá conteúdo para estudar 6 horas de contrabaixo por dia, assim como um aluno avançado não conseguirá dar conta de estudar tudo o que precisa em 1 hora por dia.

Agora, a concorrência está enorme e o mercado de trabalho continua fechado… Por isso, quem tem objetivos profissionais com o contrabaixo, após um ano de instrumento, deve pensar em 3 ou 4 horas diárias de estudo, no mínimo. Esse tempo pode chegar até 6 ou 8 horas diárias.

Obs: Para agüentar esse treinamento contrabaixístico, trate também do seu corpo, não se esquecendo de fazer:

a) Uma pausa de 5 a 10 minutos a cada 50 minutos ou 1 hora de estudo;

b) Alongamentos antes e depois do estudo;

c) Tirar um dia na semana para descanso;

d) Praticar alguma atividade física regular (2x por semana, no mínimo), que fortaleça os braços, abdômem e costas.

[Voltar]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s